FANDOM


O Efeito do Peixe Luminoso (The Luminous Fish Effect no original) é o quarto episódio de The Big Bang Theory. Foi ao ar em 15 de outubro de 2007.

ResumoEditar

Sheldon é demitido de seu emprego e subsequentemente se aprofunda em várias obsessões. Leonard vê isso e decide que só uma pessoa pode ajudá-lo a voltar ao normal: sua mãe.

Enredo CompletoEditar

Leonard e Sheldon são a uma festa para conhecerem o novo chefe do departamento, Eric Gablehauser. Sheldon está descontente com Gablehauser porque sente que ele é indigno. Depois de expressar isso para ele, Sheldon é rapidamente demitido. De volta ao apartamento, Leonard, confiante de que Sheldon terá seu emprego de volta se ele se desculpar com Gablehauser, Sheldon se recusa a fazê-lo, explicando que este é o seu primeiro dia de folga em décadas. Penny entra e pergunta se ele precisa de alguma coisa do mercado. Como suas exigências a confundindo, Sheldon vai junto. Como de costume, ele consegue irritá-la após sua palestra sobre a distância entre os carros, curiosidades sobre tomates, multivitaminas e compra de absorventes a granel. Leonard volta e encontra Sheldon fazendo experimentos com peixes luminosos. Mais tarde, Leonard traz a mãe de Sheldon, Mary Cooper, para seu apartamento para ajudar Sheldon, que estava fazendo sarapes e ponchos. Isto irrita Sheldon e ele corre para seu quarto. Mary faz um jantar para a turma, e explica que Sheldon sempre foi assim. Sheldon sai de seu quarto para comer e Mary explica: "Você tem que deixá-lo (Sheldon) vir até você". Leonard claramente ignora o aviso e Sheldon se tranca em seu quarto de novo. No dia seguinte, Mary força Sheldon a pedir desculpas a Gablehauser depois de lembrá-lo de uma coisa semelhante que aconteceu quando ele era mais jovem. Em Caltech, Sheldon pede desculpas a Gablehauser e o apresenta a sua mãe, rapidamente conseguindo seu emprego de volta. Na cena final, Sheldon pergunta a sua mãe se Gablehauser vai ser seu novo pai, e Mary responde "veremos". Sheldon então vai dormir e vemos que ele conseguiu fazer o abajur de peixe luminoso.

NotasEditar

Referência do título: Sheldon produz peixes que brilham no escuro neste episódio.

CuriosidadesEditar

  • Esta é a primeira vez que vemos o interior da Caltech na série.
  • Johnny Galecki e Sara Gilbert anteriormente estrelaram a série "Roseanne" (1988), que também tinha Laurie Metcalf no elenco.
  • O tear de Sheldon é mencionado posteriormente em A Derivação da Torrada, onde é revelado que ele fez sarapes para Leonard, Howard e Raj, com o último ainda o vestindo quando faz frio.
  • A "estimativa" de Sheldon sobre o carro de Penny pesar quase 2 toneladas é grosseiramente imprecisa. Um moderno sedan de tamanho médio pesa em torno de 1500 quilos, enquanto seu pequeno Volkswagen Golf Cabriolet chega perto dos 860, 950 quilos.

CitaçõesEditar

Leonard: O Howard trouxe uma garota?!
Sheldon: Uma explicação mais plausível seria a que seu trabalho em robótica deu um grande avanço.

Mary: (para Raj) Eu fiz galinha. Espero que este não seja um dos animais que seu povo acha que é mágico.

Howard: (com uma mulher) E aí, cadelas da ciência!

(Sheldon está sentado em seu quarto, trabalhando em uma escultura genética quando sua mãe chega)
Mary: Bom dia, docinho!
Sheldon: Bom dia.
Mary: (olhando para a escultura de Sheldon) Nossa, isso parece importante. O quê é?
Sheldon: É minha ideia sobre como seria o DNA de uma forma de vida de silicone.
Mary: Mas inteligentemente desenhada por um criador, certo?
Sheldon: O quê você quer, mãe?
Mary: Você lembra da quando seu pai dizia que só se pode pescar por um tempo até ter que jogar uma banana de dinamite na água?
Sheldon: Sim.
Mary: (pega uma blusa, uma calça e uns sapatos do armário de Sheldon) Bom, eu cansei de pescar. Veste isso.
Sheldon: Pra quê?!
Mary: Porque você vai voltar no seu escritório e vai pedir desculpas pro seu chefe e pegar seu emprego de volta.
Sheldon: Não.
Mary: Perdão, eu comecei a frase com "Se você desejar, Vossa Alteza"?
Sheldon: Eu não vou me desculpar. Eu não disse nada que não fosse verdade.
Mary: Agora escuta: eu tenho te dito desde os seus quatro anos de idade que é legal ser mais inteligente do que os outros, mas você não pode sair por aí dizendo isso!
Sheldon: Por que não?!
Mary: Porque as pessoas não gostam disso! Lembra das surras que levou das crianças da vizinhança? Agora vamos indo! Banho, camisa, sapatos e vamos nessa! (sai)
Sheldon: Não haveria surra se o maldito Raio da Morte tivesse funcionado.

CríticaEditar

"Um episódio estranhamente escrito. A história é aceitável quanto às piadas mas o foco está todo errado. A história deveria ser sobre o lugar de Sheldon no mundo e como ele se sente sobre isso mas descobrimos muito pouco. Os autores parecem não saber onde eles estão tentando chegar". - The TV Critic